O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

TECENDO O FIO DE SEDA – A figura materna na cultura chinesa

Texto de MONIKA VON KOSS

Nossa entrevistada Monika von Koss está lançando uma nova obra. O texto abaixo fala um pouco sobre o tema do livro, que poderá ser adquirido diretamente em seu site: http://www.monikavonkoss.com.br/
Nós duas já encomendamos os nossos!

No intuito de revelar a expressão do feminino sagrado e sua inserção na concepção de mundo chinesa, a autora percorre a trajetória histórica desta cultura milenar. Explicitando o contexto geográfico, histórico, social e religioso em que a figura materna se expressa nas diferentes épocas, o texto percorre o período que vai do neolítico aos tempos modernos.

Alinhavando as diferentes etapas evolutivas da cultura chinesa como um fio de seda, o feminino emerge na força da figura materna, presente desde os primórdios míticos, até sua configuração como a divindade suprema do panteão daoista.

Associada desde o início com as forças celestes, a persistência de sua presença revela sua capacidade de se transformar junto com as mudanças ocorridas na organização político-social chinesa, ao longo dos milênios.

Como a mãe-natureza do período mítico, passando pela mãe ancestral das primeiras dinastias, até assumir sua posição de destaque como a Rainha Mãe no período imperial, ela é a Mãe Eterna, aquela que concede a imortalidade a seus devotos.

A força da figura materna na cultura chinesa se reafirma também no período moderno, quando uma nova imagem literária é utilizada para substanciar a mudança cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *