O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Artigo de Ana Figueiredo sobre a Jornada do Herói dos mineiros resgatados

Texto de ANA FIGUEIREDO 

Aqui fora tecnologia.
Lá em baixo um grupo, os deuses e uma borboleta.
Ouviram falar da história dessa borboleta?
É a jornada mitológica nascendo….

Assistindo à transmissão do resgate dos 33 mineiros,fico me perguntando quem escreverá a história desta jornada e quem fará o filme; ou se este já é o filme sobre os 33 homens que jamais serão os mesmo depois daquele encontro.
Neste momento, a Mãe Terra está parindo de suas entranhas 33 heróis.

A Santa Ceia entrou para dentro do ventre da terra!
Está parindo homens que foram feitos heróis lá em baixo na profunda escuridão. De uma catástrofe, sobreviveram e tornaram-se maiores que eles mesmos. Ao subir, renascem deixando para trás aquele mundo que os transformou. No retorno, reparem como cada um vai reagindo e recebendo a vida aqui fora – que mundo é este? É individualmente que cada um vai renascendo mas sua força vem do grupo. Não podem perder tal força!

Permitam-me compartilhar com vocês um trecho escrito por Joseph Campbell de “O herói de mil faces” e em seguida o depoimento do segundo mineiro resgatado..
Além do limiar o herói inicia uma jornada por um mundo de forças desconhecidas e, não obstante, estranhamente íntimas, algumas das quais o ameaçam fortemente, ao passo que outras lhe oferecem uma ajuda mágica. Quando chega ao nadir da jornada mitológica, o herói passa pela suprema provação e obtem sua recompensa. Seu triunfo é representado pela expansão da consciência e do ser. O trabalho final é o do retorno onde as forças transcendentais devem ficar para trás; o herói reemerge do reino do terror. A benção que ele traz consigo há de restaurar o mundo“.

Com 39 anos, Sepúlveda foi o primeiro mineiro a dar entrevista após o resgate iniciado na madrugada desta quarta-feira:
-“Estive com Deus e estive com o diabo. Me agarrei a Deus, peguei a melhor mão. Sempre soube que Deus iria nos salvar.Não nos tratem como artistas nem jornalistas. Quero ser tratado como mineiro“.
Sepúlveda também agradeceu à equipe de resgate:
-“Eles nos recuperaram; nós entramos com a loucura, a experiência, mas todo o resto foi feito pelos profissionais”.”A vida me tratou de maneira dura, mas aprendi“.

Claro que em nosso primeiro encontro de “Mito, Cinema e Nunca Mais Fui o Mesmo Depois Daquele Encontro” vamos lidar com este evento mitológico.

1 comentário

  1. Que o mundo saia contagiado pela força desse episódio de beleza tão singular. Abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *