O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

O manifesto do sonhador, de Regina Gulla

Gente, hoje apresento aqui o estatuto dos que, como eu, é uma sonhadora convicta.
Aqueles que (tem a sorte de) se identificarem com esse estatuto podem ver mais dele em http://bosquesonhador.wordpress.com/o-manifesto-do-sonhador-3/, ou podem comprar o livrinho (O manifesto do sonhador, de Regina Gulla). 
Ele parece pequeno, mas cabe lá dentro um maravilhoso mundo inteiro.
Poesia pura, remédio que cura qualquer tédio, programa de vida. 

O Manifesto

.O Sonhador é o homem que vive muito bem a vida. Para ele, viver muito bem a vida é nada mais nada menos que inventá-la.

. O Sonhador mora na sua Casa Inventada. Não tem endereço permanente, já que toda imaginação vive mudando de lugar.

. Ele mantém um endereço fixo para receber as contas de luz, água e impostos. É onde vai chegar do trabalho, fazer a salada, ajudar na lição dos filhos e na armação das suas pipas e rabiolas; arrumar a biblioteca, as tintas, os pincéis, o chuveiro quando está quebrado; ler o jornal, levar as crianças para a cama e abraçar quem o espera.

. O Sonhador raramente tem tempo de jogar conversa fora. Na sua porta, há sempre uma fila de Sonhem-me esperando ser sonhados. Eles chegam muitos de uma só vez e a porta do Sonhador se ilumina toda com essas cintilâncias.

. O ofício do Sonhador é sonhar. Ele não tem hora para começar nem para terminar; depende da escolha do material para a sonhação: se palavras, tintas, idéias, pedra, pano, barro… Depende de para onde o vento sopra, das marés, da lua, de uma voz que canta na casa vizinha, e principalmente do que é que os sonhos esperam dele.

….

. Quando um Sonhador soluça, é porque tem cardumes de Sonhem-mes engasgados na garganta, querendo se tornar poema, pintura, desenho, história, partitura, dança, mímica, palhaçada, escultura, sonata, ciranda.

. Os Sonhem-me, quando não atendidos logo, podem manifestar-se via espirro, tosse, tiques, coceiras, insônia, raiva-não-se-sabe-de-quê… É aconselhável que o Sonhador logo os transforme. Do contrário estará arriscado a morrer de tédio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *