O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

O Feminino e os livros: AS BRUMAS DE AVALON

O primeiro livro de ficção que vou sugerir nessa série de posts sobre livros com temas do feminino não poderia deixar de ser AS BRUMAS DE AVALON, de Marion Zimmer Bradley. 
A edição que tenho hoje (já tive a anterior e acabei dando para uma amiga) é de 1987, da Imago Editora, na série – que foi fantástica – “Ficção e experiência interior”. Existe uma edição nova, de 2008,da mesma editora ( a foto ao lado é dessa edição).
O livro foi um super sucesso no mundo todo e na época – meados dos anos oitenta, especialmente entre mulheres, só se falava nele. 
Li esse livro, ou melhor seus 4 volumes no segundo semestre de 1986, quando havia acabado de me mudar para Franca, no interior de São Paulo. Eu tinha 34 anos e não li, devorei os livros. 
Foi meu primeiro contato com o feminino em si, através dos livros. A partir daí fiquei fascinada pelo tema, como sou até hoje. 
Em seus 4 volumes e quase 1000 páginas Marion Bradley reescreve a saga arturiana sob a ótica das mulheres. Não mais o Rei Arthur e Lancelot são os heróis, mas sim surgem como protagonistas e heroínas, Viviane, a Senhora de Avalon e principalmente Morgana, irmã de Arthur. 
E ela recria Avalon como a misteriosa ilha, escondida pelas brumas e só acessível pela magia feita por uma suma sacerdotisa. Nessa ilha vive a comunidade feminina das sacerdotisas e aspirantes onde se aprende as artes da cura e da magia e que cuida das terras da Bretanha. 
A saga conta a passagem da religião celta que existia entre aqueles povos, onde a Deusa e a natureza eram cultuadas, para o cristianismo onde se cultua Deus e a natureza deve ser domada. E também a perda do poder pelas mulheres – no mundo celta a relação entre os homes e mulheres era muito mais igualitária – sendo subjugadas ao poder dos homens. Não por acaso no fim do romance, Avalon e sua magia, desaparecem nas brumas para sempre! 
Mas o livro não é derrotista, pois no fim, na última fala de Morgana – que não vou contar para não estragar a surpresa de quem quiser ler os livros – fica clara a continuidade do Mundo da Deusa! 
Muitas mulheres no mundo todo começaram a olhar para o feminino como uma forma alternativa de ver o mundo a partir da leitura desse livro. Para mim foi, como já disse, o meu primeiro portal para esse mundo da deusa. Avalon é, na minha visão, uma das mais belas metáforas ficcionais do Feminino Sagrado! 
E, para quem gostar de ler as AS BRUMAS DE AVALON sugiro mais alguns livros da autora que contam o que aconteceu antes da época de Arthur, sempre sob a ótica das mulheres. São eles em ordem da história e não com que foram escritos: “Teia de Luz”, “Teia de Trevas”, “Os ancestrais de Avalon”, “A casa da floresta”, “A sacerdotisa de Avalon” e a “Senhora de Avalon”. 
Para quem, como eu, é super fã das Brumas é um prato cheio! 
 
Texto de Cristina Balieiro

2 comentários

  1. Ana Carla disse:

    Muito obrigada pelas dicas! ADORO "As Brumas.."! Beijo!

  2. Que bom que vc está gostando, Ana! Espero que vc tbem goste das próximas dicas de leitura. Bj
    Cris

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *