O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

O Feminino e os livros: O JARDIM SAGRADO

Quem leu nosso primeiro livro sabe que foi “O JARDIM SAGRADO – a dimensão espiritual da vivência feminina”, que nos inspirou e nos lançou nessa jornada incrível, em que escrever o livro foi apenas o começo!
“O JARDIM SAGRADO” foi escrito por Sherry Ruth Anderson e Patricia Hopkins e lançado nos Estados Unidos em 1991 com o título THE FEMININE FACE OF GOD. No Brasil foi lançado pela Editora Saraiva, em 1993 e sua edição está esgotada, só sendo achado em sebos e também isso não é muito fácil.
Falei dele também em outro post – Meus livros bálsamos – mas, mais de seu impacto em mim. Hoje quero falar do livro em si. Considere esse livro um dos melhores que já li para servir de guia para descobrirmos em nós, mulheres, o melhor feminino que podemos ser e por dois motivos: seu conteúdo e sua forma.
As duas autoras se conhecem num grupo de mulheres que se reuniam nas casas uma das outras para partilhar experiências espirituais e se descobrem num momento muito parecido. Ambas estavam com quarenta e pouco anos, tinham passado por um divorcio depois de 15 anos de casamento, estavam sentindo falta de algo novo na vida e por isso tinham largado cada uma seu trabalho e estavam, no momento em que se conheceram vivendo de suas economias e esperando uma orientação interna sobre o que fazer a seguir. Acabam descobrindo o novo fazendo juntas uma pesquisa extensa entrevistando mais de 100 mulheres ligadas a dimensão do Sagrado, buscando saber se existia uma espiritualidade tipicamente feminina, do qual esse livro é fruto.
Nessa jornada descobrem que a dimensão espiritual é, de fato, vivida de forma diferente pelas mulheres. E no livro ilustram essa outra forma encontrada usando metáforas de um jardim.
E, entremeado com os conceitos estão intercaladas vários trechos das histórias de vida das mulheres entrevistadas, assim como reproduções de suas falas. Além disso as duas autoras se colocam de forma muito pessoal no livro, contando suas próprias histórias, contando sonhos e narrando o que foi acontecendo com as duas durante todo o processo de fazer o livro.
Existem histórias incríveis, depoimentos marcantes e acima de tudo uma revelação poderosa do princípio feminino.
É como se naquelas falas o próprio Feminino Sagrado se manisfestasse!
Seu conteúdo e essa forma tão pessoal e íntima faz com que sua leitura me emocione muito e me fale tão de perto: é como se estivesse encontrado uma irmandade feminina ao qual pertenço.
Eu amo esse livro e, por tudo que ele me trouxe, faz parte inerente da minha vida! Recomendo a todas!
 
Texto de Cristina Balieiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *