O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Filme Indomável sonhadora conta a história de uma pequena grande heroina


A pequena Hushpuppy e seu pai Wink vivem em uma comunidade num pântano na Louisiana (muito semelhante a áreas de inundação que temos aqui no Brasil), em precárias habitações (idem igual aqui).
O serviço social do governo quer que eles deixem o lugar por causa de um furacão que se aproxima, mas ela, seu pai e parte da comunidade resistem.  E não é só essa a preocupação da menina: suas condições são de pobreza extrema, o pai está muito doente,  a mãe ausente faz falta. Em sua cabecinha, estes medos se materializam na forma de monstros pré históricos chamados  auroques.
E no entanto – põe no entanto nisso! – ela é uma valente sonhadora.  Na nossa língua daqui do blog, ela é  uma autentica  heroína, que  luta com os auroques como S Jorge lutou com o dragão, como nós lutamos  com aquela mistura de fantasia e realidade todos os dias… Muitas vezes sem distinguir bem o que é uma e o que e outra.
Este filme épico, poético e forte ganhou o Festival de Sundace de 2012 e concorreu a 4 categorias no Oscar, entre os quais de melhor atriz para a menina,   Quvenzhané Wallis, de apenas 9 anos – um triunfo para o jovem diretor   Benh Zeitlin, que o produziu com baixo orçamento. 
Mais uma vez, vemos que heroinas e heróis são universais e não tem idade! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *