O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Pensamentos e Imagens

É interessante: na verdade, eu sou judia de nascimento, e é a religião que eu tenho formalmente, mas o que o budismo diz faz muito sentido para mim. Muita coisa dentro do espiritismo, dos escritos do Allan Kardec, faz sentido para mim também. E, dentro do judaísmo, se lido claramente, tem muita coisa que também faz muito sentido. Dentro do catolicismo, se ficar, não naquilo que os homens fazem, mas na mensagem, também faz muito sentido. Então, eu não sei dizer o que eu me sinto: eu não me sinto judia, não me sinto católica, não me sinto budista; eu me sinto aquilo de bom que eu peguei de tudo e que me forma, me compõe. 

Trecho da entrevista de Andrée Samuel falando de sua jornada, do livro “O FEMININO E O SAGRADO – MULHERES NA JORNADA DO HERÓI”.

2 comentários

  1. Joferraz. disse:

    Pensamento perfeito que traduz minha história de vida, meu sentir e meu viver. Ao longo da vida vamos somando e agregando enquanto a ideia de se dedicar a uma linha vai se dissolvendo dando lugar ao entendimento de que todas são fragmentos ou aspectos do Todo.
    Na verdade, se olharmos com a mente aberta, tudo faz sentido. Os métodos ou práticas é que nos puxam mais pra um lado do que para outros.
    Sucesso, sempre!

  2. Andrée é uma mulher sábia, sem dúvida e que nos deu a honra de entrevistá-la e a termos em nosso livro!
    Gratidão sempre
    Cris e Bia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *