O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Pensamentos e Imagens

Eu tenho uma vocação, eu tenho dentro de mim uma facilidade muito grande para entrega, para me entregar para uma causa. Se eu encontrasse uma razão de ser eu embarcaria, eu abraçaria essa causa. E o (Antonio) Nóbrega me trouxe justamente isso, ele trouxe uma razão para abraçar….. A gente procura a relação do diálogo, do conforto, do ouvir, do acolhimento. Faz parte dessa visão feminina, uma visão aonde a intuição venha antes da razão, ou pelo menos ao lado da razão. No nosso trabalho esses valores estão o tempo todo em tudo: a razão, a força, o poder, a conquista e junto, a ternura, o afeto, a compaixão, a solidariedade…. é tão importante o que acontece no palco no nosso trabalho quanto o que acontece fora dele. A relação que a gente tem com o trabalho, nesse sentido, é uma relação bem religiosa, de religar, de doação, de entrega, de missão.

Trecho da entrevista de Rosane Almeida falando de sua jornada, do livro “O FEMININO E O SAGRADO – MULHERES NA JORNADA DO HERÓI”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *