O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Herdamos traumas de nossos ancestrais… e muito mais

 Quando há quase 100 anos atrás Jung falou sobre inconsciente coletivo, quase ninguém entendeu o conceito e pouca gente acreditou.
O  inconsciente coletivo é uma base psicológica comum à humanidade, tipo “formas” herdadas de esquemas de funcionamento mental. Nele estão os arquétipos, que se mostram na vida da gente através de imagens (o Velho Sábio, o Herói, etc.) e de situações arquetípicas (o nascimento, a morte, o sacrifício, etc). Todo mundo – nós mesmas, um grego antigo e um homem medieval – compartilhamos esse fundo comum, só que vamos expressá-lo de maneiras diferentes.
É por causa dessa espécie de memória genética psíquica que os mitos de culturas diferentes se assemelham e “falam” entre si. Por exemplo, o deus grego Hermes tem características de Exu e do egípcio Thot.
Hoje, apesar de muita gente já entender e trabalhar com isso, ainda há quem duvide não só da existência do inconsciente coletivo mas até, veja só, do próprio inconsciente. E ainda se tem a ideia de que o comportamento humano é influenciado apenas pelo meio ambiente ou pela genética no sentido mais estrito do termo.
Agora foi comprovado experimentalmente que traumas podem ser herdados e refletir no físico, afetando o DNA. Um cientista falou que isso é evidencia de que “há uma “herança epigenética transgeracional”, ou seja, de que o ambiente pode afetar os genes de um indivíduo, que podem então ser transmitidos a seus herdeiros.Um dos pesquisadores, Brian Dias, afirmou à BBC que tal característica “pode ser um mecanismo pelo qual os descendentes mostram marcas de seus antecessores“.”
Enfim, entre outras coisas, como a evidencia psicossomática, de forma experimental de laboratório começa-se a confirmar a ideia de Jung  de que herdamos componentes psicológicos dos nossos ancestrais e que corpo e psique estão mais conectados do que se sabe. Se traumas modificam o DNA, podemos pensar que experiências desde os primórdios do homem vão modificando seus genes e virando esquemas de funcionamento mental arquetípicos! Jung estava muito à frente de seu tempo…
Matéria da Folha de São Paulo, link abaixo para o texto completo.
Trauma’ pode ser transmitida entre gerações, sugere estudo

DA BBC BRASIL 

Um estudo feito por cientistas americanos aponta que o comportamento humano pode ser afetado por episódios vivenciados por gerações passadas por meio de uma espécie de memória genética.

As pesquisas mostraram que um evento traumático pode afetar o DNA no esperma e alterar os cérebros e o comportamento das gerações futuras.

O estudo, publicado na revista científica Nature Neuroscience, indica que camundongos treinados para se esquivar de um determinado tipo de odor passaram essa aversão a seus ‘netos’.

Especialistas dizem que os resultados são importantes para as pesquisas sobre fobia e ansiedade. 
Veja mais no link abaixo:

 
texto de Bia Del Picchia

2 comentários

  1. Anônimo disse:

    Interessantissimo! Ja havia lido sobre isso…na Folha, inclusive. Bem provavel, considero. Vera Márcia.

  2. Também acho. O velho mago sabia das coisas…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *