O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

O Feminino e os Livros: FIANDO PALHA, TECENDO OURO

O livro mais famoso que usa contos de fadas como metáforas para falar sobre o feminino e as mulheres é “Mulheres que correm com os lobos”de Clarissa Pinkola Estés. Ele é tão conhecido ( é citado por 9 entre 10 mulheres que se interessam sobre o tema ) que não acho que valha a pena incluí-lo nessa série. Da Clarissa já falei de outro livro que amei.
Quero indicar outro livro sobre o tema – mulheres e os contos de fadas – desconhecido para muita gente e que acho sensacional: FIANDO PALHA, TECENDO OURO, de Joan Gould, editado pela Rocco em 2007. 

A autora vai usar os contos de fada para falar de forma simbólica sobre as transformações que todas as mulheres sofrem pela vida. Para ela os contos de fada mostram suas heroínas vivendo situações de sofrimentos e privações para que possam forjar uma personalidade forte e capaz de sobreviver aos “perigos do mundo”, numa simbologia da passagem da infância para a puberdade e da proteção do lar para os mistérios da vida. Vejam o que ela mesma diz na Introdução: 

Este é um livro sobre mulheres, especificamente sobre contos de fada e a maneira como iluminam as metamorfoses em cada estágio da vida da mulher: aquelas mudanças de consciência bem como biológicas que impelem as mulheres para passar de um nível de existência para outro. Todos nascemos para sermos mudados, dizem-nos as histórias; estamos sempre em movimento de uma transformação para a seguinte, quer queiramos ser transformados ou não. 

Ela divide o livro nas três fases da mulher e a cada uma vai usar como metáfora os diferentes contos de fadas (ou mitos e alguns romances emblemáticos) para refletir sobre o processo de transformação e amadurecimento feminino. São: 

Parte 1 – DONZELA: a idade da atração 
Branca de Neve: a separação da mãe / a tentação pelos artigos da bruxa 
Cinderela: sobrevivendo à adolescência / entrando na dança 
A Bela Adormecida: ao adormecer é menina… / ao despertar é mulher / em estilo americano (Como Walt Disney mudou o significado)
Belas e feras: montadas nas costas do desejo / a descida ao corpo / olhando para a face do amor 

Parte 2 – MÃE: a idade do afeto 
A noiva branca e a noiva preta: a descoberta dos dois eus 
Rapunzel e Jane Eyre: confrontando a louca do sotão 
A esposa foca: faminta por intimidade, sedenta de silêncio 
A esposa de Barba-azul e O estranho pássaro: tomar a vida nas próprias mãos 

Parte 3 – ANCIÃ: a idade do espírito 
João e Maria: a vida à luz da morte 
Deméter e Perséfone: os belos mistérios 

Todas as três partes são ótimas. Vejam algumas pinceladas: 

Parte 1 – DONZELA 
Sobre o conto “Cinderela”
Mais uma vez, embora não receba nenhum crédito por isso, a madrasta perversa é uma força em prol do crescimento, empurrando a heroína para for a do círculo da família e rumo à transformação. 

Sobre o conto “A Bela Adormecida” 
Dois tipos de energia estão disponíveis para cada um de nós: esforço ou abertura. Buscar o que está além de nós. Ou despertar alguma coisa dentro de nós mesmos que nunca existiu até agora. 

Parte 2 – MÃE 
Sobre o conto “A noiva branca e a noiva preta” 
A Preta é poder. A Branca é bondade. Uma é tão real e valiosa quanto a outra. Dizemos a nós mesmas que integramos as duas em nossas vidas, mas é claro que não. Nós alternamos.

Sobre o conto “A esposa foca” 
Meditação e solidão são aquilo que uma mulher precisa de modo a se refazer, especialmente durante os anos de criação dos filhos. No meio às distrações da vida cotidiana, sua experiência mais transformadora lado a lado com dar à luz, não é o sexo, mas um momento de solidão plenamente vivenciado, em que a alma copula com o corpo. 

Parte 3 – ANCIà
Na introdução 
Somente na velhice, e somente por um momento na velhice, somos livres o suficiente em espírito para ver o mundo como Deus deve vê-lo – como uma fantasia passageira que nos captura por algum tempo e depois nos deixa partir. 

É um lindo livro. Além dos contos, dos mitos, tem filmes, romances, poesia. E se percebe, foi escrito por uma mulher Velha e Sábia. 
Vejam como ela termina: 

A transformação é o que ambicionamos quanto jovens, o que tememos quando velhos: aquelas jornada inevitáveis do conhecido para o desconhecido. (…) A cada ascensão de um nível para outro, sentimos um espasmo de temor seguido por uma torrente de esperança. (…) Somos impelidos para mudar. Nada dura, mas tudo retorna sob uma outra forma. (…) 
Há muito tempo, eu costumava levar minha filha ao cinema comprando para ela uma meia entrada: Bambi, Pinóquio em reprise. Então minha filha cresceu e se casou e teve filhos, e eu levava minhas duas netas ao cinema: A Pequena Sereia, A Bela e a Fera. 
Minhas netas hoje são adolescentes. Vou até o balcão da bilheteria e compro três entradas inteiras para minha filha e suas filhas, e uma entrada meia. Esta última para mim. Eu ocupo tanto espaço no mundo quanto elas. Assistimos ao filme juntas, mas elas o teriam visto da mesma maneira sem mim, enquanto eu não estaria no cinema sem elas. (…) 
Depois pego o carro e levo as três de volta para casa. Até logo, grito do meu carro, enquanto elas abrem a porta de casa e entram. Até logo. Eu sou o passado delas. Mas também sou seu futuro.

Texto de Cristina Balieiro

6 comentários

  1. LIndo livro Cristina, eu já o tenho há algum tempo, mas acho que somente agora me senti chamada a lê-lo.
    Seu post está lindo, realmente nos estimula a querer conhecer esta autora.
    Bjs

  2. Anônimo disse:

    Qual eh o outro livro da Clarissa? Pode colocar o link do post. Obrigada, adoro esse blog, bjs. Raquel

  3. Anônimo disse:

    Muito interessante! Parabens novamente pelo blog. Vale a pena "segui-lo" diariamente! Vera Márcia.

  4. Queridas Cristiane, Raquel e Vera Márcia, palavras como a de vcs me dão um enorme animo em continuar construindo nosso blog, obrigada! Raquel o livro que indiquei da Clarissa é A CIRANDA DAS MULHERES SÁBIAS. Está no link
    http://ofemininoeosagrado.blogspot.com.br/2013/08/o-feminino-e-os-livros-ciranda-das.html
    Bjs a todas
    Cris

  5. Anônimo disse:

    Alguém tem o livro em pdf?

  6. Adriana Politi disse:

    Adoro este livro também, tenho um grupo e uma página no face abordando questões relacionadas a adolescência e este material tem me ajudado muito. Seu texto realmente está muito estimulante e motivador.
    Obrigada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *