O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

MULHERES MARCANTES: Lina Bo Bardi (1914/1992)

Achillina Bo, mais conhecida como Lina Bo Bardi, foi uma arquiteta modernista ítalo-brasileira. Casada com o crítico de arte Pietro Maria Bardi, sua obra mais conhecida é o projeto da sede do Museu de Arte de São Paulo (MASP). 

Lina estudou na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Roma durante a década de 1930 mas mudou-se para Milão. Ganha certa notoriedade e estabelece escritório próprio, mas durante a II Guerra Mundial enfrenta um período de poucos serviços, chegando a ter o escritório bombardeado. Ingressa no Partido Comunista Italiano e participa da resistência à ocupação alemã. 

Casa-se com Pietro Maria Bardi em 1946 e neste ano, em parte devido aos traumas da guerra e à sensação de destruição, parte para o Brasil, país que acolherá como lar e onde passará o resto da vida (em 1951 naturaliza-se brasileira).

MASP – Avenida Paulista 

Instala-se em São Paulo, projetando e construindo, mais tarde, uma casa no bairro do Morumbi, a Casa de Vidro. 
Lina desenvolve uma imensa admiração pela cultura popular, sendo esta uma das principais influências de seu trabalho. Fala em um espaço a ser construído pelas próprias pessoas, um espaço inacabado que seria preenchido pelo uso popular cotidiano. 

Os Bardi tornam-se personagens constantes na vida intelectual do país, relacionando-se com personalidades diversas da cultura brasileira. Tendo conhecido Assis Chateubriand neste período, Lina aceita seu  pedido e faz o projeto da sede do MASP. 
 No final dos anos 1950, vai para Salvador, onde dirigiu o Museu de Arte Moderna e fez o projeto de recuperação do Solar do Unhão. Permanece na Bahia até 1964.

SESC Pompéia

No final da década de 1970 executou uma das obras mais paradigmáticas, o SESC Pompéia, que se tornou uma forte referência para a história da arquitetura na segunda metade do século XX. 
Em Salvador na década de 80, elaborou projetos de restauração no centro histórico de Salvador, reconhecido pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade. 

 Além das obras de arquitetura, Lina produziu para o teatro, cinema, artes plásticas, cenografia, desenho de mobiliário, entre outros. Também participou da curadoria de diversas exposições.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *