O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

As princesas, as crenças limitadoras e a liberdade

Quando eu era criança adorava desenhar princesas. Com cerca de 12 anos, começando a sair da autenticidade da infância, resolvi parar porque achava que não desenhava bem! Com 52 anos resolvi voltar a desenhar e isso virou uma adorável viagem interna. Parece que com o tempo, se a gente amadurece e vai perdendo as crenças limitadoras que nos bombardeiam, vai devagar conseguindo, de novo, a liberdade de criar da criança.

TEXTO E ILUSTRAÇÃO DE CRIS BALIEIRO

2 comentários

  1. Andreia disse:

    Lindo desenho e linda reflexao. Temos muito a aprender com as crianças.

Deixe uma resposta para Andreia Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *