O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Inspiração para desenhar contos de fadas


Eu me encantei com este quadro (imenso!), que está em num museu na Russia, no qual o pintor Ilya Repin mostra seu amigo Vasnetsov (à direita de quem olha) no fundo do mar, vendo passar um desfile de princesas, sereias e outras maravilhas.

Já que Vasnetsov foi um grande pintor de contos de fadas (clique aqui para ver outro post sobre ele), foi assim que seu amigo o imaginou buscando inspiração: nas fantasias, nos sonhos, visões ou visitas concretas (vai saber…?)  dos seus personagens mágicos.  
Parece bobagem, mas acho que ele não estava tão errado. Sonhos e experiências parapsicológicas são uma das origens de contos de fadas. Se você quiser desenhar, pintar, ler ou apenas se aproximar deste mundo encantado, veja o que a especialista Marie Louisevon Franz fala sobre a origem dos contos de fadas*:
“As teorias a respeito da origem dos contos de fada variam bastante: algumas dizem que são remanescentes degenerados de mitos e doutrinas religiosas, outras afirmam que eles provêm de uma parte degenerada da literatura. Já se disse também que eles são uma espécie de sonho, mais tarde contados como estórias.

(…) Assim podemos perceber como se origina uma estória: existe sempre um núcleo que se forma a partir de experiências parapsicológicas ou sonhos. Enquanto certos níveis da população não possuíam rádio nem jornal, seu grande interesse consistia nas estórias — e assim podemos ver como se origina um mito.

(…) Acredito que é assim que surgem os contos de fada. Entretanto, não afasto a teoria de que às vezes existem remanescentes de literatura degenerada. Por exemplo, vocês podem encontrar o mito de Hércules diluído em uma estória na Grécia de hoje. Ele foi reduzido a uma estrutura básica, permanecendo seu material arquetípico, e são esses elementos de formas religiosas do passado que reaparecem no material do conto de fada.”
* livro A sombra e o mal nos contos de fada, M.L. von Franz, Ed Paulus
Post de Bia Del Picchia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *