O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Ousar ser quem somos em trecho de nosso livro

 
A viagem de primeiro descobrir e depois ousar ser quem somos é uma briga mesmo, e muitas vezes o preço a pagar é alto. Por isso, tem muita gente que nunca a faz. Mas vale a pena, porque é um processo que vai nos conduzindo a níveis de plenitude mais e mais intensos, ao máximo que podemos ser.

Pg 14 do livro Mulheres na jornada do herói – pequeno guia de viagem, Ed Ágora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *