O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

MULHERES MARCANTES: Emily Brontë (1818 – 1848)

Retrato de Emily Brontë
feito por seu irmão Branwell

Emily Jane Brontë foi uma escritora e poetisa inglesa, autora do romance Wuthering Heights (O Morro dos Ventos Uivantes), hoje considerado um clássico da literatura mundial.

Emily era a quinta dos seis filhos de Patrick Brontë, vigário e de Maria Branwell, e irmã de Charlotte Brontë e Anne Brontë, também escritoras.

As irmãs Brontë, pintadas pelo irmão  em 1834.
 

Depois da morte de sua mãe as crianças foram mandadas para um colégio interno onde sofriam castigos, alimentavam-se mal e não dormiam bem devido ao frio. Duas das irmãs de Emily, Maria e Elizabeth, faleceram devido às condições do internato e o pai resolveu levar as crianças, definitivamente, de volta para casa e cuidar de sua educação.

Os irmãos estudaram os clássicos da literatura e passavam a maior parte do seu tempo dentro da casa paroquial, lendo e escrevendo. O ambiente de seu lar, segundo a irmã Charlotte escreveu mais tarde ao recordar a infância, tinha poucos atrativos para as crianças: “Dependíamos totalmente de nós mesmos e uns dos outros, dos livros e do estudo para encontrar diversões e ocupações na vida. O estímulo mais elevado, bem como o prazer mais vivo, que conhecemos da infância em diante residia em nossos primeiros esforços na composição literária.” Emily, suas duas irmãs e o único irmão Patrick, chamado por elas de Branwell criaram, em suas brincadeiras, várias terras imaginárias que eram relatadas em detalhes em jornais e outros artigos que as crianças costumavam escrever pra seu próprio deleite.

Já adultos, Charlotte entrou para o colégio em Roe Head, Branwell começou a beber imoderadamente e Emily começou a se isolar em seu mundo. Quando Charlotte, que acabou sendo bem aceita em Roe Head, foi convidada a lecionar naquela escola, levou Emily consigo; devido, porém, à timidez, Emily não se integrou e acabou voltando para casa. Emily passava os dias, em casa, solitariamente. Nos intervalos dos afazeres domésticos, compunha versos que escondia. Resolveu, então, tornar-se professora, mas não conseguiu devido a sua timidez e introversão.

Em 1842, Emily e Charlotte foram para a Bélgica, onde aprenderam francês alemão com o objetivo de abrirem a sua própria escola na Inglaterra com os outros dois irmãos, mas não conseguem alunos. Então Anne e Branwell vão trabalhar de preceptores, e Emily e Charlotte ficam em casa, em Haworth.

Charlotte descobre os poemas de Emily e quer publicá-los, juntamente com os seus e os de Anne. Em janeiro de 1846, uma pequena editora aceitou publicar o livro a expensas das próprias autoras, e foi usada, para isso, a herança de uma tia. Apenas dois exemplares foram vendidos, apesar do elogio da crítica. As três irmãs não desanimaram, e cada uma começou a escrever seu próprio livro.
Charlotte foi a primeira a publicar seu livro “ Jane Eyre” sob o pseudônimo de Currer Bell, atingindo grande sucesso.

Emily publica sua única obra em prosa, “O Morro dos Ventos Uivantes”, também como a irmã, com um pseudônimo masculino, Ellis Bell, em 1847. O livro foi mal compreendido na época, devido ao clima sombrio da história.
Hoje é considerado um dos grandes romances clássicos da literatura mundial, já foi publicado em muitas línguas e teve inúmeras adaptações cinematográficas e teatrais.

Emily Brontë  morreu em 1848 de tuberculose com apenas 30 anos.

2 comentários

  1. Ana Nazaré disse:

    Tem o filme desse livro, eu assisti, é lindooo ….

  2. Tem várias versões, Ana, mas se der leia o livro: para mim é o romance que mais gosto! E o mais incrível é que foi escrito por uma pessoa tão jovem e com tão pouca experiência de vida, pelo menos externo, porque interna ela devia ter de sobra. Beijo
    Cris

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *