O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Junguianos falam – Jane Hollister Wheelwright


(…) quando existe a necessidade de uma ligação com o Self, inicia-se um processo muito difícil e doloroso, que pode ser assustador. O Self quer uma reavaliação e mudanças, o ego agarra-se ao antigo, e ficamos divididos. É o diálogo com o Self, através das imagens oníricas, que pode preencher essa lacuna e dar significado à vida. Além disso, quando se confia nesse centro próprio, não se procura lá fora alguém que possa dar todas as respostas. Sabemos que as respostas estão dentro de nós, e isso nos dá verdadeira independência. 

EM BUSCA DA VIDA, pág.61

3 comentários

  1. Olá Cristina,

    Adorei o trecho, tem muito a ver com os temas que estamos lendo no Grupo de Estudos. Vi alguns depoimentos dela nos DVDs lançados há pouco tempo sobre a obra de Jung e gostei bastante. Não conhecia esse livro dela, vou procurar.
    Abraçø

  2. É lindo Cristiane e ao mesmo tempo muito denso: é a história real da terapia que ela fez com uma mulher de menos de 40 anos que estava morrendo de câncer – muito focada nos sonhos – até a morte! Não é para qualquer um, mas tenho certeza que vc vai gostar muito!
    Bjs
    Cris

  3. Ana Nazaré disse:

    Lindo, lindo , fantástico !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *