O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

O homem sinistro nos sonhos de mulheres, por Clarissa Pinkola


Quem nunca sonhou com esse personagem ameaçador? A junguiana Clarissa Pinkola Estés trata disso no seu livro-referência Mulheres que correm com os lobos, editado pela Rocco. 
Trecho para ter ao lado nas noites de pesadelo:


  “Eis o padrão do sonho. Quem sonha está sozinha, muitas vezes na sua própria
casa. Do lado de fora, no escuro, há um ou dois homens rondando. Assustada, ela disca7 o número de emergência para pedir ajuda. De repente, ela percebe que o ladrão está dentro de casa com ela… perto dela… talvez ela até sinta a respiração dele… talvez ele até a esteja tocando… e ela não consegue ligar para o telefone de emergência.(…)

O sonho fala de uma atitude cruel para consigo mesma, encarnada pelo bandido no sonho. Como a esposa do Barba-azul, se a mulher conseguir dominar  conscientemente a pergunta-chave   sobre a questão e respondê-la com honestidade, ela poderá se libertar. Poderíamos dizer que o sonho ocorre para provocar uma tempestade na psique para que algum trabalho vigoroso possa ser realizado.(…)

Ouvi todas as desculpas que uma mulher poderia conceber. Não tenho talento. Não sou importante. Não tenho instrução. Não tenho idéias. Não sei como fazer. Não sei o que fazer. Não sei quando fazer. E a mais revoltante de todas: não tenho tempo. Sempre sinto vontade de sacudi-las até que se arrependam e prometam nunca mais contar mentiras. Mas não preciso sacudi-las, pois o homem sinistro dos sonhos cumprirá essa função e, se não for ele, outro agente onírico qualquer o fará.”  p54

Post de Bia Del Picchia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *