O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Para acabar com a culpa: pesquisa mostra o sucesso pessoal e profissional de filhos de mães que trabalham fora

Uma nova pesquisa realizada pela Harvard Business School aponta que, ao contrario do que dizem, filhos e filhas de mães que trabalham fora tendem a se sair muito bem na vida. Ao crescer, há indícios de que as meninas tendem a ser profissionais mais bem sucedidas e os meninos a serem pais e maridos mais presentes.
Segundo a pesquisadora, a maneira com que vemos e pessoalmente vivemos o papel dos gêneros – o que uma mulher e um homem “devem” ser e fazer – tem forte influencia sobre o futuro das crianças. Quando uma menina é tão incentivada quanto o menino a buscar seu lugar profissional, irá se empenhar nisso sem as restrições das que são induzidas ao papel tradicional das mulheres. Igualmente, os meninos que não são incentivados a seguir o velho papel de pai e profissional durão poderá se permitir cuidar com mais carinho da própria familia.
Mas a pesquisa traz muito mais. Abaixo, partes editadas e traduzidas por mim de um artigo do Washington Post de Jena McGregor entrevistando a autora do estudo Kathleen McGinn, que leciona na Harvard Business School. Quem quiser ler o original clique aqui, vale muito a pena!  Obrigada, Lucia, pela indicação. 
 Na verdade, as filhas de mães que trabalham parecem ter-se realmente beneficiado em seus próprios trabalhos. Eles eram mais propensas a realizar funções de gestão e a ganhar mais do que as mulheres cujas mães ficaram em casa em tempo integral. Alguns dos resultados foram particularmente gritantes: nos Estados Unidos, por exemplo, filhas de mães que trabalham ganham 23% mais do que filhas de mães dona-de-casa. E seus filhos? Não houve efeito sobre seu emprego. No entanto, eles eram mais propensos a contribuir para o trabalho em torno da casa como adultos e a passar mais tempo cuidando dos filhos e da família.

Os resultados, que ainda têm de ser publicados em uma revista acadêmica, foram liberados sexta-feira pela Harvard Business School como parte do lançamento da Iniciativa de Gênero da escola. O estudo analisou dados de cerca de 50.000 entrevistados em 24 países que participaram em uma pesquisa internacional sobre gênero e atitudes.”

Trechos  de Kathleen McGinn comentando alguns resultados da pesquisa:


“… Ser criado por uma mãe que trabalhava fora de casa, em qualquer ponto antes da criança ter 14 anos de idade, foi associado a resultados positivos de carreirapara as mulheres e a uma maior contribuição em casa para os homens… O que encontramos em 24 países é que estes efeitos são muito consistentes, e parece que eles estão sendo impulsionados pelo que chamamos de modelos de papéis de genero não tradicionais. Ou seja, mães que trabalham estão afetando as atitudes de gênero dos seus filhos, a maneira como eles pensam sobre o que é um comportamento apropriado. E essas atitudes de gênero, por sua vez, estão afetando os resultados.

Algumas atitudes de gênero,  que significa nos dizer o que é apropriado para uma mulher e o que é apropriado para um homem fazer, podem restringir o envolvimento dos homens na vida familiar e restringir o envolvimento das mulheres em suas carreiras. Então, quanto maior o conjunto de opções disponíveis para meninas e meninos, maior o conjunto de opções que eles consideram como adultos.

… Há muito pouca pesquisa sugerindo que ser criado por uma mãe que trabalha é ruim para as crianças. É difícil deixar os seus filhos todos os dias, é provavelmente difícil para os homens também, e por isso nos sentimos como se estivéssemos fazendo um desserviço a eles. Mas a maior parte da pesquisa sobre mães que trabalham realmente sugere que isso é positivo para as crianças.


….  Eu certamente não estou advogando que todas as mulheres devam trabalhar fora. Muitos estudos, como o nosso, na verdade  apenas pergunta: Como esse fato ajuda e como prejudica as crianças? Descobrimos que isso realmente é positivo, o que não significa que mães trabalharem fora de casa é sempre a resposta certa. Da mesma forma, isso não significa que a resposta certa é que o pai sempre vá trabalhar e a mãe fique em casa.


… O que eu penso a partir desta pesquisa é que parece benéfico para as crianças serem expostas a um amplo conjunto de alternativas sobre o que fazer com suas vidas. Isso pode vir de sua mãe trabalhar fora de casa em tempo integral. Pode vir de seu pai cozinhar o jantar todos os dias. Pode vir de sua tia, que é uma cientista. Pode vir de seu tio, que é um especialista em cuidados com crianças.
Post de Bia Del Picchia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *