O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Vinte e seis de julho é dia dos avós. Para que servem eles, mesmo?

Essa data foi escolhida para o dia dos avós porque é o dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e avós de Jesus. Existem muitas igrejas dedicadas a Santa Ana, que é protetora também das mulheres mais velhas. Fui numa, perto de Quebec, e é muito interessante ver no altar a imagem glorificada de uma mulher mais idosa e com rugas.

Interessante porque há hoje um grande preconceito contra gente de idade. Entre outras coisas, diz-se que como muitos deles não sabem lidar com as mudanças tecnológicas e sociais, não têm mais utilidade para o mundo.

Mas as pesquisas estão contradizendo essa ideia, até no mundo animal. Segundo artigo da Folha (de 16/04/15) que reproduz dados da revista científica “Current Biology”, as avós orcas que passaram da fase reprodutiva e estão na menopausa são os animais que lideram a busca por alimentos de todo grupo de baleias. Ou seja, é a líder deles. Por quê?

Porque ela tem mais conhecimento do ambiente, acumulado pelo tempo de vida, e não tem mais a incumbência de cuidar de seus filhotes bebês.Faz sentido, não? Inclusive, outro estudo do grupo mostrou que o risco de mortalidade dos adultos fêmeas e machos sobem quando eles perdem suas mães.

Quanto à nossa própria espécie, a “hipótese da avó”, sustenta que as mulheres vivem muito mais tempo do que o “necessário” com a finalidade de ajudar seus filhos e netos a sobreviver, já que não está mais ocupada com a própria reprodução e prole. Mesma idéia, no fundo.

No Brasil, muitos lares são sustentados pela avó cuja filha ou filho tiveram bebês cedo demais, não conseguem mantê-los ou cuidar deles sozinhos.

Mas além dessas questões diretas de sobrevivência, bons avós ou avôs podem oferecer um grande suporte emocional para todos. São outra referencia familiar na qual as crianças podem experimentar e se expandir, são outra fonte de afeto e de conhecimento. Assim, não lidar bem com tecnologia torna-se menos importante do que contar uma antiga historia de fadas à netinha, beijar seu dedo machucado ou ficar com ela para a mãe poder sair.

Importante para as crianças também é simplesmente ver seus avós vivendo bem, mostrando que é possível resistir com orgulho e prazer ao tolo preconceito que diz que velho é feio e não serve para nada. Quem sabe isso incentiva as novas gerações a resistir a outros preconceitos igualmente tolos.

Post de Bia Del Picchia 

2 comentários

  1. Ana Nazaré disse:

    Que lindo , não sabia! Acabei de falar com meu avô e não dei parabens pra ele, vou ligar de novo e falar =)) rsrs

  2. Maravilha, Ana, ele deve ter gostado! Avôs e avós são tudo de bom!

Deixe uma resposta para Ana Nazaré Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *