O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Marie-Louise von Franz fala sobre ser “dama”


Esse é o ideal da dama. Uma dama não pragueja, não se irrita e sequer sabe que tem barriga e genitália. Ninguém pode falar sobre essas coisas; a palavra “barriga” é proibida; uma dama não usa essa palavra.(…) Essa é uma fantasia anima do homem, e das mais dolorosas para a mulher, caso ela tenha de adaptar-se a um padrão assim. Mas é possível que muitas de nós tenhamos sido ensinadas que precisamos ser damas; uma situação das mais desalentadoras.

O GATO – UM CONTO DA REDENÇÃO FEMININA – págs.87/88

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *