O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Jung fala sobre destino



Foi só depois da minha doença que compreendi o quanto é importante aceitar o destino. Porque assim há um eu que não recua quando surge o incompreensível. Um eu que resiste, que suporta a verdade e que está à altura do mundo e do destino. 

MEMÓRIAS, SONHOS, REFLEXÕES – pág. 259

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *