O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Para fazer diferença é preciso ser diferente

“O essencial é o que eu preciso fazer, o que se eu não fizer ninguém vai fazer no meu lugar.
Aí sou eu, aí eu sou diferente, e ninguém é igual a ninguém. 

É que a gente vive numa danada de uma sociedade que funciona muito melhor se as pessoas vestirem as mesmas roupas, comerem as mesmas comidas. Mas isso não é orgânico no ser humano; o orgânico é a diferença, o orgânico é você ser o que ninguém mais é.

Aí você acrescenta no contexto, aí você faz a diferença.”

Depoimento de Rosane Almeida, pg 217

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *