O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Heroínas do Brasil – explicando o projeto

Cara leitora, caro leitor,

Hoje, quero explicar melhor o que é o projeto “Histórias de heroínas do Brasil”

Aqui vou contar histórias de mulheres brasileiras que viveram no passado recente ou mais remoto e que são muito especiais pois fizeram diferença no nosso país e, em alguns casos, também em outros lugares do mundo.


Toda semana, sempre às quartas-feiras, no blog  e também na página “Histórias de Heroínas do Brasil” no Facebook, você vai poder ver ilustração que fiz de uma dessas mulheres e uma pequena história da sua vida. Aqui no blog estarão na nova categoria – Histórias de heroínas do Brasil.

Em primeiro lugar gostaria de dizer que escrevo essas histórias para meninas e meninos de 8 a 108 anos pois acho que precisamos, todas e todos, conhece-las e/ou saber mais sobre elas, especialmente as novas gerações. Em função disso a linguagem escolhida é para permitir a leitura por e para crianças e adultos.

Nossas heroínas foram artistas, cientistas, professoras, ativistas, arquitetas, escritoras, médicas, atletas, cantoras, políticas, pedagogas, aviadoras, até soldadas e muitas outras coisas…e, de alguma forma, fazem parte da história do nosso país.
Esses pequenos relatos vão contar aquilo que elas trouxeram de marcante para as nossas artes, comportamento, cultura, ciência, sociedade, política e vários outros campos. 
Algumas delas não nasceram aqui, mas viveram e trabalharam no Brasil, então são também brasileiras de coração. Outras viveram e trabalharam parte do tempo fora do Brasil, mas continuaram brasileiras em seus corações. 

Junto a cada história está a ilustração que fiz da mulher. É bom dizer que quando as desenhei não pensei em como elas se pareciam de verdade, mas como eu as vejo na minha imaginação. É como se elas fossem as minhas princesas, as princesas da menina que ainda vive em mim. É também a minha forma de homenagear a cada uma delas!

Essas mulheres tão bacanas viveram aventuras de todos os tipos. Foram corajosas. Mas também tiveram medo e choraram muitas vezes. Ficaram muito felizes e, às vezes também bem tristes. Algumas vezes ganharam, outras perderam. Elas eram perfeitas? Claro que não: foram humanas, como todas e todos nós. Mas, com suas imperfeições e erros, com medo e enfrentando dificuldades, sempre foram valentes, pois não desistiram de lutar por aquilo que acreditavam. 

E porque só histórias de mulheres? Porque, quase sempre, os escritos que contam a história de um país, só falam de homens, você já percebeu? Como se só os homens pudessem viver peripécias e serem heróis. Quero que as meninas e as mulheres tenham também modelos de heroísmo baseado em mulheres reais e não só modelos de heróis!


Mas, falando a verdade, para as mulheres no passado, era muito mais difícil viverem aventuras. Muitas não podiam estudar, muito menos trabalhar e ganhar seu dinheiro! Às vezes era proibido para elas até sair de casa sozinhas; na verdade era quase impossível fazer qualquer coisa sozinhas. Apesar dessas dificuldades, elas lutaram e mesmo sofrendo as consequências, foram em busca do que queriam e acreditavam. Em muitos casos foram pioneiras e abriram caminhos para as outras mulheres.

Também não podemos negar que muitas delas retratadas aqui tiveram acesso a uma educação da melhor qualidade para a época e tinham uma posição sócio econômica e cultural muito acima das mulheres do seu tempo. Mas isso não tira, de modo algum, o mérito de suas vidas e conquistas e suas histórias merecem ser divulgadas e conhecidas por todas/todos nós. E algumas delas, mesmo enfrentando dificuldades econômicas e sociais maiores ainda, conseguiram realizar coisas muito importantes.


E quer saber de uma coisa? Acho que apesar dos muitos obstáculos, existiram muitas mulheres no passado que também foram bem valentes, viveram acontecimentos especiais e fizeram diferença para outras pessoas. Mas a gente acaba não sabendo das suas histórias. Pode ter até acontecido isso com sua avó, sua bisavó ou sua tataravó! Que tal você buscar conhecer as histórias delas? 

Espero, querida leitora e querido leitor, que goste dessa nova aventura que começo a viver e compartilhar com você a partir de agora! 

Na próxima quarta, dia 02/03, nossa primeira heroína: CHIQUINHA GONZAGA! 

PS: Se você quiser participar, enviando sugestões de mulheres a serem retratadas, dados sobre a situação feminina no Brasil, dicas ou qualquer outra coisa, me contate através do email: crisbalieiro5@yahoo.com.br ou através de msg na minha página no Facebook : Cristina Balieiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *