O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Sonhando com gatos?


Sonhos com gatos? Paixão por gatos? Não é a toa, eles são meio mágicos mesmo, mas esses sedutores e fofos animais parecem muito mais domésticos do que são na verdade. Texto baseado no livro O Gato, da analista junguiana Marie Louise von Franz.
  
Na interpretação junguiana de sonhos, mitos e contos de fadas, os animais representam reações emocionais e energias instintivas muito importantes que existem na psique. Cada animal é a expressão de um padrão instintivo específico, que a gente pode perceber através da observação direta deles e de como aparecem na mitologia.

Na mitologia, os gatos são ligados à Lua e às mulheres. Todos os gatos tem origem no Egito, onde eram considerados sagrados e associados à fertilidade e à musica. Eles acreditavam que a luz do sol, que de noite ocultava-se dos humanos, ficava presa e refletida em seus olhos fosforescentes que podiam ver no escuro, ou seja, tinham o dom da vidência.

O gato está associado aos processos criativos e à imortalidade, talvez devido a sua espantosa capacidade de sobrevivência (às sete vidas…) e ao fato de enrolar-se arquetipicamente em forma de circulo. Em particular, a gata branca era considerada um agente de cura, e os rabos dos gatos como tendo um poder mágico especialmente forte.

Em inúmeras tradições eles foram considerados tanto benéficos curadores como maléficos feiticeiros. Por isso, são vistos como uma espécie de ponte entre valores conflitantes de modo geral: entre o bem e o mal, entre a vida interior e a vida exterior, entre os deuses e os homens. Tendo conhecimento dos dois lados, podem indicar como andar em equilíbrio entre ambos. É uma espécie de guia da alma.
O aspecto diabólico do gato ligado às bruxas só predominou depois que o cristianismo assumiu a expulsão patriarcal do feminino. Havia rituais de enforcamento de gatos na Idade Média parecidos com os rituais de perseguição às bruxas. Marie Louise von Franz nota que mulheres dependentes e muito submissas ao marido ou filhos sonham frequentemente com gatos.
Nesse caso, diz ela, mostro a essas mulheres o que o gato faz Como anda com majestade, como é independente, não se entrega facilmente à dominação das pessoas e sabe se fazer respeitar. Como segue sua vontade mais que o cachorro, por exemplo, e por mais fofinho que pareça não abre mão de certa selvageria.
Post de Bia Del Picchia

1 comentário

  1. Ana disse:

    Gata vadia -Tetê Espíndola

    Quer meu bem que eu seja o ar
    Que ela possa respirar
    Quer que eu seja o mar
    Pra que ela possa navegar devagar
    Ela quer sentir-se no céu
    Ela quer o gosto do mel
    Quer a noite, quer o vinho
    Quer mergulhar no prazer
    Quer carinho, gata vadia
    Sacia essa sede de amor
    Que insiste em continuar a queimar
    Nossa pele numa ânsia febril

    Gata no cio me faz esquecer
    Que o frio existe lá fora
    E aquece o nosso ninho de amor
    Quer meu bem que eu seja a luz
    Que ela possa ver brilhar
    Quer que eu seja o sol
    Pra que ela possa em mim se queimar
    Devagar
    Ela quer sentir-se feliz
    Ela quer bem mais do que diz
    Quer a noite, quer o leito
    Quer se entregar na paixão desse jeito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *