O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Heroínas do Brasil – Anita Garibaldi

Ana Maria de Jesus Ribeiro, conhecida como Anita Garibaldi (1821 / 1849): heroína no Brasil e na Itália, tendo lutado ao lado do marido Giuseppe Garibaldi, em guerras por liberdade
AnitaG

Anita nasceu em Laguna, na época província de Santa Catarina em 1821. Sempre foi uma mulher extremamente corajosa. Casou-se aos 14 anos com um homem muito mais velho, mas separou-se dele aos 17. 
Nessa época, meados da década de 1830, acontecia no sul do Brasil a Guerra dos Farrapos, onde os gaúchos, liderados por Bento Gonçalves queriam se separar do resto do Brasil e formar a República de Piratini. Lutavam contra as tropas do Império de D. Pedro II. O italiano Giuseppe Garibaldi, um idealista das causas da liberdade, veio lutar ao lado dos gaúchos.

Garibaldi e Anita se conheceram em 1839 durante as batalhas dessa guerra que se estendia para Santa Catarina. Apaixonaram-se imediatamente. Anita então decidi seguir Garibaldi e se juntar a luta dos Farrapos. 
Mostrando uma  atitude sempre destemida e heroica lutou junto a ele e seus homens de igual para igual, tanto em batalhas no mar, quanto em terra, tanto usando o sabre, como fazendo sozinha arriscada travessia em pequeno barco para levar munição para os revoltosos. 
Durante a revolução, foi feita prisioneira e Garibaldi dado como morto. Conseguiu convencer os soldados que a prenderam para que lhe dessem licença para procurar o corpo do marido no campo de batalha. Não achando o corpo, percebeu que Garibaldi havia escapado. Conseguiu então um cavalo e fugiu, montada em crina e  grávida de 4 meses. Encontrou  o marido e depois teve seu primeiro filho. Garibaldi se ausentou  quando a criança estava com 12 dias e um destacamento dos soldados imperiais invadiu sua casa. Novamente Anita escapa fugindo a cavalo com seu bebe recém-nascido. 

O casal vai então para o Uruguai, onde Garibaldi sobrevive como professor e Anita o ajuda costurando para fora, enquanto aprende a ler e a escrever com ele. 
Em 1842, já viúva do primeiro marido, casou-se com Garibaldi: tinha 21 anos. No Uruguai os dois têm mais 3 filhos. 
Com a ameaça a independência do Uruguai, Garibaldi se juntou as tropas uruguaias sendo nomeado coronel. Anita trabalhou como enfermeira junto a legião do marido. 

Em 1848 Garibaldi resolveu enviar sua família para a Itália, onde são recebidos com muita alegria e honras. 
Mais tarde, no mesmo ano, Garibaldi voltou à Itália e se devota à luta pela emancipação e unificação do país. Em 1849, sabendo da difícil situação do marido, cercado pelos franceses em Roma, Anita deixa os filhos com a sogra e vai lutar ao lado do marido. Participa ainda ao lado dele de batalhas e fugas espetaculares, mas debilitada, grávida de 6 meses e adoentada, não resistiu e morreu em agosto de 1849, aos 28 anos. 

Garibaldi escreveu em suas Memórias: ” Eu chorei amargamente a perda de minha Anita. Aquela que foi companheira inseparável nas mais aventurosas circunstâncias de minha vida”.

É reverenciada tanto no Brasil como na Itália e em sua homenagem foram erguidos vários monumentos no Brasil e também em Roma, Nice e Ravena; foi por isso chamada “Heroína dos Dois Mundos”!

Próxima quarta-feira, dia 06/04, MARIA JOSÉ DEANE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *