O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Heroínas do Brasil – Lina Bo Bardi

Achillina Bo Bardi (1914/1992), conhecida como Lina Bo Bardi: importante arquiteta modernista ítalo-brasileira
Lina

Lina nasceu na Itália e estudou na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Roma durante a década de 1930. Formada, montou um pequeno escritório, mas durante a II Guerra Mundial os serviços diminuíram e seu escritório foi bombardeado. Ingressou no Partido Comunista Italiano e participou da resistência à ocupação alemã.

Casou-se com Pietro Maria Bardi em 1946 e neste ano, em parte devido aos traumas da guerra e à sensação de destruição, partiram para o Brasil, país que escolherá como lar e onde passará o resto da vida. Em 1951 naturalizou-se brasileira. Começou morando em São Paulo, onde projetou e construiu sua residência, conhecida como a “Casa de Vidro”, no bairro do Morumbi. 

Lina era uma mulher muito criativa! Além de seus de diversos projetos de arquitetura, famosos na cidade, fez ainda produções de cenários e figurinos para o teatro e o cinema, desenho de móveis e pinturas. Promoveu também ações para atualizar a moda em relação ao panorama internacional, trazendo palestras e desfiles de coleções de estilistas europeus, buscando desenvolver uma “Moda Brasileira”. 
Tinha imensa admiração pela cultura popular, sendo esta uma das principais influências de seu trabalho. Levou a arte popular e o artesanato para os museus. 

No final dos anos 1950, mudou-se para Salvador, na Bahia onde dirigiu o Museu de Arte Moderna e fez o projeto de recuperação do Solar do Unhão, que se tornou o Museu de arte Popular. Ficou na Bahia até 1964 e depois voltou a morar em São Paulo. Lina continuou suas produções artísticas e seus projetos arquitetônicos inovadores, como a restauração de uma fábrica do início do século XX, que se tornou a sede do Sesc Pompéia. Em Salvador, na década de 80, elaborou projetos de restauração no centro histórico, reconhecido pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade. 

Mas seu projeto mais conhecido é do imponente Museu de Arte de São Paulo, o MASP, inaugurado em 1968 e que fica na Avenida Paulista, na cidade de São Paulo. 
Lina participou ativamente e influenciou de forma ampla a vida cultural do Brasil.

Próxima quarta-feira, dia 01/06: INEZITA BARROSO

2 comentários

  1. Ana disse:

    Linda história e desenho !

    1. crisbalieiro disse:

      Obrigada, Ana, a Lina foi uma grande mulher e nos deixou obras maravilhosas!
      Abraço
      Cris

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *