O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Pausa num dia de semi pausa: Elisa Lucinda

Nesse dia espremido entre domingo e feriado, trabalhando ou emendando vale se jogar nesse poema que fala de menstruações, de pausas e desse (quase) maio. E, claro, nas frases dessa maravilhosa poeta.

 

Quanto mais vela mais acesa –   Elisa Lucinda

Um dia quando não menstruar mais

vou ter tanta saudade desse bicho sangrador mensal

que inda sou

que mata os homens de mistério

Vou ter saudade desse lindo aparente impropério

desse império de gerações absorvidas

Desse desperdício de vidas

que me escorre hoje, mês de maio.

Ensaio:

Nesse dia vou querer a vida

com pressa

menos intervalo entre uma frase e outra

menos res-piração entre um fato e outro

menos intervalos entre um impulso e outro

Sem essa fartura de virgulas

entre um verso e outro

menos lacunas entre a ação e sua causa

E se Deus não entender, rezarei:

Menos pausa, meu Deus

menos pausa.

Do livro O Semelhante – Ed Record

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *