O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Sobre tempos “estranhos”

Hoje algumas sábias palavras sobre tempos obscuros, tempos de “não saber”, tempos de navegar na vida meio sem direção clara: não os externos e sociais, mas os internos e pessoais! É muitas vezes nesses tempos, nos momentos de vazio, que está a fonte onde o novo e o criativo estão sendo gestados!

Existe uma crença da sociedade de que sair de qualquer situação é ruim, a menos que você saiba para onde está indo. Mas a ideia de que o futuro está sempre visível do lugar onde estamos não é realista. Algumas vezes, precisamos caminhar por um tempo “no escuro” até que possamos vislumbrar um novo horizonte.

Joan Borysenko

Assim como as contrações do parto tem início, marcando a separação que nos distancia da segurança do útero, uma oculta sincronia começa a movimentar-se como portadora do sentimento que estamos preparadas para o novo. Ao despertar, certa manhã, descobrimos que não conseguimos mais ajustar-nos à força à velha identidade. O que parecia configurar segurança e tranquilidade parece agora negar a vida e, de repente, percebemos que está na hora de ir embora. O que fica para trás é uma consciência antes segura, que dispunha de categorias nas quais enquadrar as coisas e se autoconhecia, sabendo para onde rumava e por quê. Essa segurança é substituída pelo desconhecido. Pela vulnerabilidade. E por algo inexprimível e, às vezes, quase insuportavelmente novo.

Sherry Ruth Andersen

Por mais assustadora que possa ser a condição de estar no meio da floresta, por mais tempo e por mais sozinhos que possamos estar, ela é uma paisagem viva e repleta de possibilidades. É para a alma um lugar bem melhor que o deserto.

Jean Shinoda Bolen

Tenha paciência com tudo o que não tiver ainda tido solução em seu coração e … tente amar as próprias indagações como aposentos trancados, e livros que foram escritos em língua estrangeira. Não busque as respostas, que não lhe podem ser dadas, porque você não seria capaz de vivê-las. E a questão é viver tudo. Viva as questões agora. Talvez você então, aos poucos e sem perceber, em um dia ainda longínquo, estará vivendo as respostas.

Rainer Maria Rilke

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *