O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Solidão na mudança

Uma das coisas mais difíceis foi que eu me sentia totalmente sozinha! Minha família e meus amigos não aceitavam quem eu tinha me tornado e ficavam me pedindo para eu voltar ao meu “velho eu”.

Eu não tinha com quem conversar! Não tinha com quem dividir todas as descobertas tão valiosas para mim. Acabei me afastando de muita gente naquela época, foi bem doloroso!

Foi um longo processo até eu fazer novos amigos, encontrar novos companheiros que tivessem a ver com a pessoa que eu tinha me tornado.

FERNANDA

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *