O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Marion Woodman (1928/2018)


Marion Woodman faleceu dia 9 de julho agora, poucos dias antes de fazer 90 anos. Além de ter vivido uma vida extraordinária é uma das pessoas que mais tratam com profundidade do Feminino. Nossa homenagem a essa mulher, a quem tanto devemos a ampliação da nossa consciência,  é trazer algumas de suas sábias palavras.

O mistério feminino viceja no Agora. Suas energias estão concentradas no que acontece neste momento: o miosótis faiscando de orvalho, o aroma de um úmido pinheiral, a mão hesitante – tudo se unindo de uma maneira ímpar, neste Agora. O mistério feminino relaxa na concentração total e é.

Na parte feminina de nosso ser encontra-se um lado muito mais lento, menos racional, que se movimenta de modo mais espontâneo, natural, receptivo, uma parte que aceita a vida sem julgá-la.

Sem a experiência dos instintos, nem a alma feminina, nem o espírito masculino encarnam. (…) O corpo não está presente. Ela não está ali. A mulher completa ecoa tanto física como psiquicamente, quer dizer, a alma está encarnada.

O feminino não se interessa em estar no topo; o feminino se dedica à vida nesse momento. Dedica tempo para olhar as árvores;dedica tempo à construção de relacionamentos de profundidade, a ser levado por aquela força que confia que existe um significado inerente a essa vida. (…) É dessa maneira sinuosa que o feminino se movimenta. Como uma serpente, para frente e para trás, em volta, para o fundo e em torno. (…) A maioria das pessoas sente terror da espontaneidade. Elas não sabem como estar no agora de modo que farão de tudo para seguir um plano preconcebido. Isto é o oposto exato de feminino, que vive no presente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *