O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Marion Woodman fala sobre a vida como eterna mudança


É como se a vida, quando está realmente sendo vivida, fosse uma série de canais de nascimento. Nós seguimos um caminho por certo período e, de repente, ou aos poucos, começamos a nos sentir insatisfeitos. Nosso trabalho não nos desafia mais, nosso parceiro não nos estimula mais, as velhas maneiras não satisfazem mais. Se nos relacionamos com os ritmos naturais da psique, encontramo-nos em um útero, retirados do mundo, sem estarmos certos de quem somos ou para onde estamos indo. Se pudermos ficar com a dor da morte do velho, e suportar a crucifixão da transição, por fim nasceremos como um novo ser. Poderemos desfrutar o novo platô por alguns anos, depois os opostos começarão a se partir de novo forçando-nos a novos níveis de consciência. Às vezes sentimos que estamos subindo, outras vezes descendo – qualquer direção é sempre para cima e para baixo. A flor de lótus, que se abre para o sol, tem suas raízes bem no fundo da lama nutridora.
O NOIVO DEVASTADO pág. 11

2 comentários

  1. Ela retrata a nossa alma no caminho da evolução.
    Eu me identifiquei muito e este texto foi uma música para o meu coração!

    1. crisbalieiro disse:

      Jamile, ela é MARAVILHOSA!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *