O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Invocando as deusas gregas

Quando precisavam de determinadas qualidades naquele momento, os gregos imaginavam a figura de uma deusa ou um deus que tivesse aquela qualidade, e a convidavam a estar presente, entrar em uma casa, proporcionar uma bênção.  Isso é o que conta esse trecho de “as deusas e a mulher” de Jean Shinoda Bolen:

“Os antigos gregos conheciam alguma coisa do que nós queremos aprender: as deusas podem ser imaginadas e depois invocadas.

É possível “invocar” essa deusa, ao se fazer conscientemente um esforço para ver, sentir ou compreender sua presença – trazê-la à mente através da imaginação – e depois solicitar sua força particular.

As seguintes invocações são exemplos:

Atenas, ajude-me a refletir claramente sobre esta situação.

Perséfone, ajude-me a permanecer disponível e receptiva.

Hera, ajude-me a desempenhar um compromisso e a ter confiança.

Deméter, ensine-me a ser paciente e generosa; ajude-me a ser uma boa mãe.

Ártemis, conserve-me centrada naquele objetivo distante.

Afrodite, ajude-me a amar e apreciar meu corpo.

Héstia, honre-me com sua presença, traga-me paz e serenidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *