O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Quando você está na sua vocação, na sua missão de vida, está no caminho da sua saúde integral física e psíquica, diz Patrícia Pinna

No livro falamos do chamado à aventura como uma “região desconhecida” que é a da busca da realização pessoal, missão, vocação ou, na linguagem de Campbell, da bliss:

“Patrícia Pinna: “Quando você está na sua vocação, na sua missão de vida, está no caminho da sua saúde integral física e psíquica”.

Esse chamado pode acontecer de inúmeras maneiras. Pode vir por meio de um acontecimento subjetivo (como uma depressão, uma descoberta sobre si ou um insight poderoso) ou de um acontecimento objetivo, concreto, oriundo do próprio corpo ou do mundo externo. Não é necessariamente uma coisa grandiosa, podendo ser forte, porém sutil.

Geralmente recebemos vários chamados ao longo da vida, mas, se fizermos uma retrospectiva de nossa história pessoal como nossas entrevistadas fizeram, é possível identificar alguns mais poderosos ou que são a síntese dos outros.

Então, como reconhecer um chamado? Por sua repercussão: quer seja aceito ou não, quer venha de uma percepção interna ou de um acontecimento externo, ele tem um efeito extremamente mobilizador na vida psíquica da pessoa. Nos depoimentos a seguir, você notará a abundância das expressões de impacto, choque, identificação ou surpresa
quando as entrevistadas falam de seus chamados.

Segundo o psicoterapeuta James Hillman (2001, p. 13), “mais cedo ou mais tarde, alguma coisa parece nos chamar para um caminho específico. Essa “coisa” pode ser lembrada como um momento marcante na infância, quando uma urgência inexplicável, um fascínio, uma estranha reviravolta dos acontecimentos teve a força de uma anunciação: isso é o que eu devo fazer, isso é o que eu preciso ter. Isso é o que eu sou”.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *