O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

A supervalorização do masculino

“Estamos tão acostumadas com a supervalorização do masculino que isso pode nem ser notado, até mesmo por mulheres que trabalham em si mesmas e com o feminino. A excessiva justificação das atitudes e o encantamento com a presença e as qualidades dos homens – e constantes críticas ou reprovações a atitudes e características das mulheres – são alguns dos sintomas dessa distorção.

Essa questão não se coloca para nossas entrevistadas: em todas existe admiração e respeito pelo feminino, o que aliás deveria ser requisito básico para alguém lidar com círculos de mulheres.

É preciso sentir ao menos um pouco do que declara Ma Devi: “O princípio masculino vai estar presente também, mas meu trabalho e meu caminho são a deusa”. Ou Marisa: “Estou plenamente convencida de que precisamos de uma nova ética. […] E essa nova ética é essencialmente feminina, ligada ao princípio feminino, porque é inclusiva”.”

Trecho do livro Circulo de Mulheres – as novas irmandades

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *