O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

O sagrado feminino e a Mulher Búfalo Branco – parte 1


Hoje segue a primeira parte do mito da Mulher Búfalo Branco, ou Pte Ska Win na língua lakota, a criadora mítica da cultura do povo Dakota, que habitava as pradarias próximas às bacias dos rios Missouri e Mississippi, no planalto central dos Estados Unidos. Na quarta-feira o post trará a continuação.

Conta o mito que, muito tempo atrás, o povo Dakota estava passando por um período de enorme falta de animais para caçar e, em consequência, havia muita fome e eles não sabiam como dar continuidade à sobrevivência da tribo.
Um dia, dois jovens irmãos guerreiros saíram para caçar. Ao subirem uma colina em busca de animais, foram surpreendidos pela visão de uma jovem mulher muito bonita, que surgiu numa nuvem diante deles. Ela trajava roupas brancas e trazia em uma das mãos a pele de um búfalo também branco. Perplexos com sua beleza, eles ficaram observando-a. Ela então lhes disse para não temerem, pois só trazia paz e felicidade, e perguntou por que estavam longe de sua aldeia.
A graça e a beleza da mulher fizeram com que o irmão mais velho ficasse cheio de desejo por ela. Ele se aproximou e pediu que ela se deitasse com ele e se tornasse sua esposa. O mais novo o advertiu de que ele não devia se comportar assim, porque ela não era uma mulher comum, mas uma mulher sagrada. Depois de alertar o irmão, respondeu a pergunta, dizendo que havia grande falta de comida entre seu povo e que eles estavam buscando caça para alimentar a aldeia.
Antes que a mulher respondesse, porém, o mais velho, não dando ouvidos à advertência do irmão mais jovem, avançou sobre a mulher, tentando agarrá-la à força. No mesmo instante, ela o envolveu com a pele de búfalo e, ao puxá-la de volta, transformou o rapaz em um esqueleto.
Em seguida, a mulher disse ao mais novo: “Você e seu irmão simbolizam dois caminhos que podem ser seguidos. Se procurar primeiro a visão do Grande Espírito, estará vendo da mesma forma que o Criador e por isso será capaz de distinguir o que é sagrado, sabendo assim como ter a atitude correta. Mas, se preferir esquecer o Grande Espírito e só buscar satisfazer seus desejos terrenos, você morrerá por dentro”.
Contou então que era a Mulher Búfalo Branco, o Espírito da Verdade, a Mãe dos Antigos, e ordenou que o jovem voltasse para sua tribo, contasse sobre o encontro com ela e pedisse que todos preparassem a aldeia para recebê-la, pois tinha vindo ensinar ao povo as coisas sagradas que eles tinham esquecido.

Trecho do livro O LEGADO DAS DEUSAS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *