O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Sobre ser uma “mulher perigosa”

Pat Mitchell, a jornalista americana e diretora editorial do TEDWomen, diz nesse vídeo que não tem mais nada a provar, e muito menos a perder: que ela tornou-se uma “mulher perigosa”. Não perigosa no sentido de temida, ela diz, mas destemida: uma força com a qual se pode contar. Nesta poderosa chamada à ação, Mitchell convida todas as mulheres, homens e aliados a unirem-se a ela, para abraçar os riscos necessários na criação de um mundo onde a segurança, o respeito e a verdade brilhem mais do que a escuridão dos nossos tempos atuais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *