O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Falar para quem nos acolhe é libertador

Nossa entrevistada Ma Devi trata sobre a importância da fala feminina de um jeito bem claro:
“Nos círculos, o que as mulheres mais precisam é ser ouvidas. Elas estão tão engasgadas, tão sufocadas, tão necessitadas de falar para quem verdadeiramente as escute! Num círculo, quando a primeira fala, ainda está retraída, meio tímida; a segunda, que já ouviu a primeira, se solta mais; na terceira muitas vezes já vem o choro, a catarse. É mágico!”

Laura Bacelar, outra entrevistada do livro, acentua a importância, para as lésbicas, de falar sobre suas vivências:
“A ideia era chamar o pessoal para ouvir uma autora falando da sua experiência de ser lésbica, e depois permitir às pessoas que falassem da experiência delas. […] Para muitas delas era a primeira vez que pegavam um microfone para falar um poema de amor para outra mulher. Tenho certeza de que em vários momentos a gente criou experiências únicas, que rolavam só ali”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *