O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Não pergunte “o que posso esperar da vida?” e sim “o que a vida espera de mim?”

Viktor Frankl era um jovem neurologista e psiquiatra judeu vienense que nos anos da II Guerra foi levado para um campo de concentração junto com milhões de seres humanos. Ele sobreviveu, mas perdeu sua família e tudo que tinha, sendo “reduzido a seu eu essencial”.

Mas não sobreviveu amargurado pelo horror que passou. Uma questão o moveu ao sair do campo: procurar encontrar um senso de significado na vida. A partir dessa questão Viktor Frankl desenvolveu uma linha psicológica importante, que você pode conhecer em livros como seu clássico Em busca de sentido.

“A pergunta não é”o que posso esperar da vida?” mas “o que a vida espera de mim?” Que tarefa na vida está me esperando?

A questão do significado da vida não costuma ser feita da maneira correta. Porque não somos nós que temos permissão para perguntar sobre o significado da vida, mas é a vida que faz as perguntas. Ela é que dirige as perguntas para nós …

Somos nós que devemos responder, devemos dar respostas à questão constante da vida, às perguntas essenciais. Viver em si não significa nada além de ser questionado; todo o nosso ato de ser nada mais é do que responder a vida. É ser responsável pela vida”.

Com esse ponto de vista mental, nada mais pode nos assustar, nem futuro, nem aparente falta de futuro. Porque agora o presente é tudo, pois contém a eternamente nova questão da vida para nós”.

Fonte: Brain Pickings by Maria Popov, 24/05/2020, tradução minha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *