O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

“Desde que comecei a dansar escrevo dansar com s”

Bandolin, Ed Assirio

Para colorir dias nublados e iluminar os escuros, trago esses pequenos poemas de Adília Lopes, poeta portuguesa contemporânea. E para quem, como eu, tropeça em alguns termos do português de Portugal, a palavra “pirosa” significa “de mau gosto, brega, cafona”  e “mulher a dias” faxineira. Danse com ela:

Dansar

Desde que comecei a dansar escrevo dansar com s. . . . Enquanto danso, penso. Penso e giro. De girar e de gerir. Enquanto danso, raciocino e raciocino melhor. Enquanto danso, rezo pela paz.

Deus é a Nossa Mulher-a-Dias

Deus é a nossa
mulher-a-dias
que nos dá prendas
que deitamos fora
como a vida
porque achamos
que não presta

Deus é a nossa
mulher-a-dias
que nos dá prendas
que deitamos fora
como a fé
porque achamos
que é pirosa*

Florbela Espanca

Estamos a perder o mundo. É o Apocalipse. Resta-nos ir chuleando os trapinhos, os papelinhos, para que o mundo não se desfie todo de uma vez. Resta-nos desentropiar. Não estou a escrever um manifesto, estou a escrever uma oração”.

Anti nazi

A limpeza
pode ser
pior
que a porcaria

A ordem
pode ser
a maior
desordem

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.