O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Reconheço a minha dor em mim, respeito a sua dor em você

“Eu acho que todo o tempo o que eu mais trabalhei foi realmente ser um curador. Eu sabia que cada história que eu escutava, cada história dos meus pacientes, era uma história que eu precisava trabalhar dentro de mim.

É como se eu tivesse precisado, por muito tempo, dos meus pacientes para me reconhecer como uma pessoa.

Cada grande problema que aparecia era um desafio para mim, eu ia atrás. E eu sabia que, se eu não tinha tudo para poder trabalhar com aquela pessoa, eu tinha que trabalhar mais um pouco em mim. Para reconhecer em mim uma ferida semelhante à dela que pudesse me fazer respeitar aquela dor.

Porque se eu reconheço a minha dor em mim, eu posso respeitar, com muito amor, a sua dor”.

Depoimento de Neiva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *