O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Reflexões de Jung sobre a vida


O homem que considera sem significado sua própria vida e a de seus semelhantes não apenas é infeliz mas é quase incapaz de viver.

A vida é a um só tempo, louca e importante. E, quando não rimos de um aspecto e especulamos sobre outro, ela se torna insípida e tudo se reduz à mais insignificante escala. Há então, igualmente, pouco sentido e pouco absurdo.

Trata-se de uma questão de temperamento, acreditar no que vale mais: se a falta de sentido ou o sentido. Se preponderasse absolutamente a falta de sentido, o significado da vida desapareceria progressivamente a cada passo do nosso desenvolvimento. Mas não se trata disso, ao que me parece. Como em todas as questões metafísicas, provavelmente ambas são verdadeiras: a vida é sentido ou falta de sentido, tem ou não tem sentido. Acalento a inquieta esperança de que o sentido prepondere e vença a batalha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.