O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Sobre abençoar

Em tempos tão difíceis vamos pensar na Mulher que Muda, a representante do sagrado feminino da tradição navaja que ofertou a seu povo o Caminho das bençãos.

A Mulher que Muda e o lindo símbolo que ela representa para o povo navajo, vem nos lembrar da importância do dar/desejar bençãos a nossos semelhantes e à vida.

(…) Dar ou desejar bençãos nada mais é que pedir com toda nossa verdade interna que alguém receba aquilo que está precisando, que tenha boa sorte, que saia de uma situação difícil, que melhore, que receba graças em sua vida. E desejar por desejar, de forma sincera e sem julgamento, mesmo que a benção seja dada de forma silenciosa, sem ser dita. É enviar energia positiva mesmo que o outro não saiba que você está fazendo isso. É rogar aos céus, as deusas e aos deuses, que estendam sobre aquela pessoa uma rede de proteção sagrada.

(…) O ato de oferecer bençãos também pode ser traduzido de forma concreta por pequenos e singelos atos de gentileza e solidariedade como dar um telefonema perguntando a uma amiga que está passando por momentos difíceis se a gente pode ajudar em algo, escutar com atenção e delicadeza alguém que precisa muito falar, levar comida para um casal que recém acabou de ter um bebê e não tem tempo para nada, oferecer para ficar com uma criança pequena para uma mãe cansada poder sair e espairecer um pouco, fazer voluntariamente companhia para alguém que está doente, sentar-se em silêncio ao lado de uma pessoa que está sofrendo respeitando sua dor, mas mostrando ao mesmo tempo estar a seu lado…
Pode também ser demonstrado em coisas em ainda mais simples como dar passagem para alguém no trânsito, sorrir para alguém desconhecido que nos parece triste, dar a mão para alguém com dificuldade a subir uma escada, oferecer ajuda para carregar as compras de uma vizinha…

(…) Quando aprendemos a abençoar já somos alguém diferente e já vivemos num mundo muito melhor, mais humano e, ao mesmo tempo, mais sagrado.

Como disse lindamente o avô da médica e escritora Rachel Naomi Remen, quando ela era uma pequena menina: “Precisamos nos lembrar de abençoar a vida ao nosso redor e dentro de nós, Neshumele. Quando abençoamos os outros, libertamos a bondade que está dentro deles e dentro de nós mesmos. Quando abençoamos a vida, restauramos o mundo”.

Trechos do livro O LEGADO DAS DEUSAS 2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *