O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Pensamentos e Imagens


Eu rememorarei da minha infância que eu passava horas falando sozinha, brincando sozinha, inventando, entrevistando, entrevistando-me. Sempre me interessou a biografia das pessoas, a guinada. E também passava muito tempo recortando as revistas Seleções. Recortava imagens e as agrupava em temas. Acho que já era a necessidade de uma jornada. Acho que era um prenúncio da minha vida: viagens, peregrinações, buscas, descobertas. Isso ai é o que virá, a semente do que virá.  
Depoimento de Ana van Erven Figueiredo, no nosso livro O FEMININO E O SAGRADO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *