O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Pensamentos e Imagens

A minha infância foi muito solitária, muito inventiva. Eu sempre inventei, menti, contei, recontei, roubei história…eu passava horas falando sozinha, brincando sozinha, inventando, entrevistando, entrevistando-me. Sempre me interessou a biografia das pessoas, a guinada…. também passava muito tempo recortando as revistas ….eu recortava imagens e as agrupava em temas. Eram locais, lugares, lugares distantes,  lugares para onde se viaja, mais do que uma viagem de turismo…. acho que já era necessidade de uma jornada. Eu acho que era um prenúncio do prelúdio na minha vida, essas viagens, peregrinações, buscas, descobertas…. Isso ai é o que virá, a semente do que virá.

 Trecho da entrevista de Ana Figueiredo falando de sua jornada, do livro “O FEMININO E O SAGRADO – MULHERES NA JORNADA DO HERÓI”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *